5 min read

O que é Ansiedade

 

Ansiedade é um termo difícil de descrever. Os indivíduos frequentemente relatam experimentar ou sentir ansiedade, o que pode significar muitas coisas diferentes. Todas as pessoas geralmente experimentam o sentimento de ansiedade. Uma crise ou outra situação estressante pode desencadear ansiedade.

 

O que é Ansiedade?

O que é a ansiedadeExperimentar uma ansiedade ocasional é uma resposta biológica normal, o que significa que o organismo está se preparando para um evento que requer atenção extra ou uma explosão de adrenalina. Entretanto, quando os sentimentos de ansiedade começam a se tornar um companheiro constante ou permanecem por muito tempo após o desaparecimento de um fator de estresse, é conhecido como um distúrbio de ansiedade.

Como muitas outras condições de saúde mental, a ansiedade difere dos sentimentos normais de ansiedade e nervosismo. Pessoas com distúrbios de ansiedade podem ter um medo intrusivo e persistente de algo que não represente perigo real. Exemplos de transtornos de ansiedade incluem transtornos de ansiedade generalizada, transtorno de ansiedade de separação, transtorno de ansiedade social (anteriormente chamado de fobia social) e transtorno de pânico.

Quando há ansiedade ou angústia intensa, um indivíduo sentirá regularmente sintomas de ansiedade, o que pode incluir um ataque de pânico. Os ataques de pânico são períodos repentinos e repetidos de medo intenso, sem a presença de perigo real.

Além disso, se a ansiedade afeta a capacidade de um indivíduo de viver plenamente, ela pode se tornar um problema de saúde mental. Uma combinação de fatores genéticos e ambientais determina o risco de transtornos de ansiedade de um indivíduo. Além disso, indivíduos com outros distúrbios de saúde mental, tais como a depressão, freqüentemente também têm um distúrbio de ansiedade.

 

Fatores de Risco para Transtornos de Ansiedade

Existem alguns fatores de risco gerais para todos os tipos de distúrbios de ansiedade, incluindo certos traumas de personalidade, eventos traumáticos na primeira infância ou na vida adulta, e um histórico familiar de ansiedade ou outros distúrbios mentais.

 

As Origens dos Transtornos de Ansiedade

A idéia de ansiedade como transtorno mental se refere a Sigmund Freud, o pai da psicologia moderna. Quando a mente experimenta o que Freud chamou de excitação, uma pessoa age de uma forma que resulta em um resultado agradável. Quando essa excitação era potencialmente perigosa ou contradizia as normas sociais, Freud chamou isso de excitação ou ansiedade frustrada. Nessa época, a ansiedade era vista como uma espécie de neurose. O objetivo de Freud era curar a ansiedade; para ser considerado equilibrado e saudável naquela época, uma pessoa precisava eliminar a ansiedade.

Em meados do século XX, os filósofos começaram a ver o mérito em um estudo de ansiedade baseado na neurose. Os psicólogos começaram a entender que a ansiedade era uma parte definida da condição humana. Ela não podia ser removida, como Freud havia inicialmente suposto.

A Associação Psicológica Americana incorporou pela primeira vez o Distúrbio de Ansiedade Generalizada no Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais (DSM) em 1980. Embora os distúrbios com sintomas semelhantes tivessem sido registrados anteriormente no DSM, esta foi a primeira vez que o GAD foi classificado como sua entidade.

 

A Ciência por trás da Ansiedade

Um distúrbio de ansiedade é causado devido a processos específicos no cérebro que tendem a se manifestar como reações e sintomas físicos. Durante uma resposta de ansiedade, o cérebro tem um influxo de cortisol e adrenalina. A adrenalina é um hormônio que fornece uma explosão de energia. Ela é responsável por desencadear o que é conhecido como a luta ou resposta de vôo. O cortisol tem muitas funções corporais, mas geralmente é secretado como uma resposta ao estresse. As respostas a esta liberação podem variar de pessoa para pessoa, pois a maioria das células do corpo humano pode receber cortisol.

Juntos, estes dois hormônios reforçam os sentidos de um indivíduo, preparando-o para o perigo percebido. Uma vez que o perigo percebido desaparece, o cérebro segrega mais hormônios para ajudar a alcançar um estado calmo. A incapacidade do cérebro de alcançar um estado de calma é uma caracterização chave de um distúrbio de ansiedade.

A parte do cérebro responsável por alertar o resto do corpo para situações potencialmente perigosas é chamada de amígdala. Ela está na área do cérebro responsável pelo humor e pelas emoções. Em indivíduos com transtorno de ansiedade, a amígdala é bastante grande, muitas vezes enviando falsos alarmes, fazendo com que os indivíduos se sintam ansiosos mesmo quando nenhum perigo está presente.

 

Sinais de um Transtorno de Ansiedade

Os sintomas físicos relacionados à ansiedade incluem tremores, fraqueza, tensão muscular, problemas para dormir, falta de ar, batimentos cardíacos acelerados, problemas digestivos, náuseas, dores de cabeça freqüentes, dores de estômago, ataques de pânico e suores incontroláveis.

 

Como são diagnosticados os Transtornos de Ansiedade?

como a ansiedade é diagnosticadaUm indivíduo é encaminhado a um profissional de saúde mental para uma avaliação psicológica para diagnosticar distúrbios de ansiedade. Embora nenhum laboratório ou teste possa diagnosticar distúrbios de ansiedade, o provedor pode solicitar testes laboratoriais para descartar as condições físicas que causam os sintomas.

 

Tratando a Ansiedade

Embora a ansiedade seja um tópico muito complexo, há várias maneiras de administrar o estresse e mitigar os efeitos da ansiedade. Por exemplo, atividades simples podem ajudar a amenizar os sinais mentais e físicos de ansiedade, que incluem meditação, banhos longos, repouso no escuro, yoga, exercícios respiratórios profundos e substituição de pensamentos negativos por pensamentos positivos. Juntar-se a grupos de apoio também pode encorajar os indivíduos a compartilhar estratégias e experiências de sobrevivência.

 

Terapia Cognitiva Comportamental (CBT)

A terapia cognitiva comportamental é uma das vias de tratamento mais recomendadas para a ansiedade. Esta técnica utiliza uma abordagem em duas vertentes para ajudar a diminuir os efeitos da ansiedade. Esta terapia olha para a cognição de uma direção e se concentra no monitoramento de padrões de pensamento. Esta etapa ajudará um indivíduo a desenvolver a capacidade de reconhecer quando pensamentos irracionais ou ansiosos estão assumindo o controle. A abordagem comportamental vem de outra direção, que visa ajudar a expor uma pessoa lentamente às coisas que podem desencadear a ansiedade. Estas duas estratégias combinadas podem ajudar aqueles que sofrem de ansiedade a compreender seus processos de pensamento e diminuir sua ansiedade em geral. A gestão do estresse e a psicoterapia podem ajudar a aliviar os sintomas da ansiedade.

 

Psicoterapia

A psicoterapia, conhecida como terapia de conversa, pode ajudar indivíduos com um distúrbio de ansiedade. Para que a terapia da fala seja eficaz, ela deve ser direcionada e adaptada às ansiedades e necessidades específicas de um indivíduo. Ela também pode ajudar um indivíduo a lidar com a resposta emocional ao transtorno.

 

Terapia de Exposição

A terapia de exposição se concentra em lidar com os medos subjacentes ao distúrbio da ansiedade, permitindo que os indivíduos se envolvam em atividades ou situações que eles possam estar evitando. Exercícios de relaxamento e imagens podem ser usados juntamente com a terapia de exposição. Criar uma imagem mental de conquistar com sucesso um medo específico também pode ajudar a aliviar os sintomas de ansiedade se o transtorno de ansiedade estiver relacionado a uma fobia específica.

 

Treinamento de Resposta ao Relaxamento

Outra estratégia bem sucedida para lidar com a ansiedade é chamada de treinamento de resposta de relaxamento. A resposta de relaxamento acontece quando o corpo se acalma após uma resposta de ansiedade. Pessoas com ansiedade muitas vezes lutam para produzir esta resposta. Existem várias técnicas excelentes para treinar esta resposta. A meditação é uma prática comum. É uma estratégia eficaz para ajudar os indivíduos a se acalmarem e aumentarem sua autoconsciência.

As técnicas de respiração também são uma ótima maneira de treinar a resposta de relaxamento. Uma estratégia comumente usada é a respiração diafragmática. Esta técnica garante que um indivíduo respire completamente cada vez que respira, em vez de muitas respirações superficiais. O relaxamento muscular progressivo é outra técnica comumente usada. A técnica envolve a tensão e depois a liberação de cada músculo do corpo e muitas vezes ajuda a trazer consciência para a tensão que um indivíduo pode não ter notado antes.

 

Exercício

Durante a ansiedade, o corpo entra num estado de luta ou vôo, produzindo uma adrenalina. A adrenalina que o corpo cria pode ser utilizada em uma resposta de relaxamento, fazendo algo ativo. Nenhum tipo específico de exercício tem que ser feito; correr, caminhar, levantar peso ou fazer HITT pode ajudar a aliviar a ansiedade. A ioga é também outra grande forma de exercício para indivíduos com ansiedade. Ela incorpora respiração focalizada, movimento suave e alongamento em uma grande prática.

 

Medicamentos

Outra abordagem comumente usada para lidar com a ansiedade é a dos medicamentos anti-ansiedade. Várias categorias de medicamentos podem ajudar a tratar os distúrbios da ansiedade. Uma categoria é a dos medicamentos antidepressivos. Mesmo sem depressão, os antidepressivos têm uma alta taxa de sucesso no tratamento da ansiedade.

Outro tipo de medicamento comum é o inibidor seletivo de recaptação de serotonina (SSRIs). Os SSRIs ajudam a aumentar a quantidade de serotonina no corpo, impedindo que ela se reabsorva no cérebro. Tipicamente os SSRIs são conhecidos por serem um medicamento seguro com efeitos colaterais mínimos (embora não inexistentes). Os medicamentos podem ajudar a aliviar os sintomas de ansiedade, mas não irão curar os distúrbios de ansiedade. É fundamental monitorar quaisquer sintomas individuais durante a ansiedade, pois certos comportamentos e medicamentos podem piorá-los.

 

Sumário

Há vários tipos de distúrbios de ansiedade. A ansiedade é um distúrbio mental prevalente e controlável com muitas subcategorias. As causas de um transtorno de ansiedade podem variar drasticamente de uma pessoa para outra, mas é essencial lembrar que experimentar ansiedade é muito natural. Ansiedade ou respostas ansiosas são o sinal do corpo de que podemos estar em perigo. Entretanto, quando a ansiedade se torna um fenômeno constante e incontrolável, é hora de o indivíduo considerar a possibilidade de encontrar estratégias para lidar com ela.

 

 
Meditação para depressão

Meditação para depressão

A depressão é um transtorno mental comum que afeta aproximadamente 280 milhões de pessoas em todo o mundo. A depressão causa muitas dificuldades na...

Continue Reading
Chakra púrpura

Chakra púrpura

O chakra violeta, também chamado de sétimo chakra ou chakra da coroa, está posicionado no topo da cabeça e representa o nível mais alto de...

Continue Reading
Chakra índigo

Chakra índigo

O chakra índigo, também conhecido como terceiro olho ou sexto chakra, localizado no centro da testa, é responsável por nossa visão interior, intuição...

Continue Reading